SINTECT-PE: A greve deve continuar

Hoje, 1º de maio, a convite do presidente da ECT, Guilherme Campos, representantes dos trabalhadores estiveram reunidos no gabinete do diretor regional da DR/SPM para debater sobre a pauta de reivindicação dos trabalhadores que estão em greve desde o último dia 26 de abril. Seguem os ponto discutidos e as propostas da empresa, um a um:

  1. Sobre DDA, OAI, CDD Virtual e Centralizador Seriam suspensas novas implantações e criada uma comissão para avaliar os locais que já foram implantados.

  2. Férias Seriam mantidas as férias nos meses de maio, junho e julho. O teto seria de R$ 3.500,00 e o valor que ultrapassasse, dividido em 5 vezes.

  3. Sobre os dias parados Os dias de greve seria compensados até o dia 30 de maio e o dia 28 de abril seria descontado.

  4. Plano de saúde A representação dos trabalhadores propôs a retirada, por parte da empresa, da mediação no TST, mas não houve acordo da empresa quanto a isso.

  5. Fechamento de agências A empresa que já anunciou o fechamento de mais de 200 agências, não teve acordo em recuar.

  6. Demissão motivada A empresa que admite estar sendo feito estudo sobre a questão e que foi noticiado pela imprensa a demissão de 20 à 25 mil concursados, também não houve nenhum avanço quanto a isso.

  7. Auditoria nas contas da empresa, abertura dos livros contábeis, privatização e outros Nenhum avanço.

Postos os pontos, os trabalhadores devem rejeitar tais propostas, que não contemplam os principais pontos da nossa pauta e intensificam ainda mais o movimento paredista.

A LUTA CONTINUA!

FORA TEMER! FORA KASSAB! FORA GUILHERME CAMPOS!